domingo, 12 de agosto de 2012

Aulas de Xadrez Presenciais e Online!

Eu sou Fabiano Prates. Sou Mestre FIDE - Federação Internacional de Xadrez. Trabalho com aulas particulares nas modalidades presencial e pela internet, individuais ou em grupo. Tenho formação superior e 17 anos de experiência no ensino de xadrez para crianças, jovens e adultos.

O xadrez é reconhecido mundialmente como um poderoso auxiliar para crianças e jovens que desejam melhorar seu desempenho escolar e para adultos e idosos que desejam manter uma mente ativa e reduzir o risco de desenvolver doenças degenerativas do cérebro, tais como Alzheimer.
A prática regular do xadrez desenvolve o raciocínio lógico-matemático, a memória, a visão espacial, a paciência, a prudência, a capacidade de tomar decisões, entre outras habilidades.

As aulas são para alunos de todos os níveis (iniciante, intermediário ou avançado) e todas as idades. Ensino iniciantes a jogar e também preparo alunos mais avançados para participarem de campeonatos.

Venha descobrir como é fácil e gostoso aprender a jogar xadrez! Aguardo seu contato!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Xadrez e História - A Copa dos Campeões Parte 1

Vou contar a história do meu primeiro grande título, a Copa dos Campeões Estaduais de 1995:

Eu tinha 20 anos e havia completado um curso técnico em química na Fundação Liberato em Novo Hamburgo. Escola famosa aqui no RS por formar bons profissionais e incentivar o xadrez do estado (obrigado, Homero!). Eu estava naquele intervalo de vida entre o ensino médio e qualquer coisa que o sujeito queira fazer da vida (faculdade, concurso público, virar surfista e trabalhar em um bar na praia, etc, ... rsrs). No meu caso, a única certeza que eu tinha na época era que eu queria jogar xadrez. Na verdade eu poderia dizer que respirava xadrez: jogava xadrez, dava aulas (de xadrez), estudava xadrez, em resumo, era o meu vício saudável, o motor que me fazia levantar pela manhã e andar ao longo do dia, minha paixão! Aos 20 anos, se não somos movidos por alguma paixão, é porque algo está meio fora do lugar. É a idade em que somos um aprendiz de adulto cheio de certezas, fogo e ideais, nada pode ser morno ou pela metade.

Eu era o Campeão Estadual do RS de 1994 e tinha direito de jogar a Copa dos Campeões Estaduais, um forte campeonato que reunia os campeões estaduais do Brasil (parecido com a Copa do Brasil do futebol). O evento era em Natal, Rio Grande do Norte, e eu morava no Rio Grande do Sul. Longe pra caramba, mas não me assustei! Botei a mochila nas costas e, após pegar uma carona de avião até o Rio de Janeiro, um ônibus até Vitória/ES, outro ônibus até Aracaju/SE (pausa para descansar) e outro ônibus, cheguei em Natal/RN!

A pergunta aqui é: mas porquê não foi direto?

R: Imagine ficar quatro dias socado em um ônibus sem poder tomar nem banho direito?!

Hoje reclamamos do avião que atrasa, da barra de cereal da Gol, da poltrona dura e apertada, mas antigamente voar era um luxo improvável. Quando me lembro dessas aventuras, fico bem feliz com minha poltrona apertada que me leva em 1 hora e 15 minutos até São Paulo, rsrs!

Continua...

Xadrez e... Tempo

Olá, Pessoal

Existe uma música de uma banda chamada Oingo Boingo (saudade dos anos 80, rsrs) que diz o seguinte:

We close our eyes and the world has turned around again
We close our eyes and dream and another year has come and go

Nós fechamos nossos olhos e o mundo girou novamente
Nós fechamos os olhos e dormimos e outro ano veio e foi

Bom! E foi isso que aconteceu. 2010 passou voando. Novas idéias brotaram em solo fértil. Mais notícias no próximo post!
Para quem quiser conhecer esse hit dos anos 80, segue o link aqui:
Tem letra, música e tradução by Google Translator Tabajara!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Xadrez e Aberturas

Olá, Pessoal!

Após um período de reformulações, resolvi começar uma nova série de temas envolvendo o jogo de xadrez. E nada melhor do que começar pelo começo, ou seja, a abertura. Vamos ver hoje um exemplo de como o mau desenvolvimento das peças na primeira fase do jogo de xadrez, a chamada "abertura", pode comprometer o andamento de todo o jogo. Essa partida foi disputada por Paul Morphy, grande jogador do século XIX, contra dois adversários ao mesmo tempo, durante o intervalo de uma Ópera, ficando conhecida como "O Mate da Ópera!

Morphy,P - Consulentes [C41]

Paris, 1858

Esta partida é um exemplo clássico de como se deve posicionar as peças rapidamente, e de como o bando que não o faz pode ser punido. 1.e4 e5 2.Cf3 d6 A chamada Defesa Philidor.

3.d4 Bg4 [3...Cf6 é melhor.] 4.dxe5 Bxf3 [De outra maneira, as brancas ganhariam um peão após 4...dxe5 5.Dxd8+ Rxd8 6.Cxe5] 5.Dxf3 dxe5 6.Bc4 Ameaçando mate em f7.

6...Cf6? Um engano. [Melhor era 6...Dd7 , embora após 7.Db3 c5 8.Be3 Cc6 9.Cc3 Ca5 10.Db5 Cxc4 11.Dxc4 Cf6 12.Td1± as brancas mantivessem a vantagem.] 7.Db3

Com esse ataque duplo, as brancas já ganhariam um peão. 7...De7 As pretas buscam trocar as damas com Db4+ e tentar se salvar do ataque mais imediato. [Se 7...Dd7? , então 8.Dxb7 Dc6 9.Bb5 ganhando a dama.]

8.Cc3 As brancas continuam a desenvolver suas peças. 8...c6 As pretas tentam proteger o peão b7, o que se revela uma perda de tempo. 9.Bg5 b5? Um lance otimista que pressupõe uma resposta trivial. 10.Cxb5!!

O momento crítico do jogo. As brancas sacrificam o cavalo para abrir linhas e atacar o rei preto. Isso é possível porque as pretas estão mal-desenvolvidas, e em consonância com o pricípio de estratégia que um desequilíbrio leva a outro, o sacrifício de cavalo leva consigo um ataque mortal

. 10...cxb5 11.Bxb5+ Cbd7 12.0–0–0 Td8 [Não era muito melhor 12...Db4 após o qual seguiria 13.Bxf6 gxf6 (13...Dxb3 14.Bxd7#) 14.Bxd7+] 13.Txd7!

As brancas sacrificam uma qualidade*, trazendo para o ataque a última peça que não estava em jogo. 13...Txd7 14.Td1 De6 [Se 14...Db4 , então 15.Bxf6 gxf6 16.Bxd7+] 15.Bxd7+ Cxd7 16.Db8+! Cxb8 17.Td8# 1–0

*Sacrifício de qualidade ocorre quando um jogador troca uma torre por um bispo ou cavalo.

Uma obra-prima sobre como explorar os erros na abertura!







quarta-feira, 8 de julho de 2009

Xadrez e Descanso!!!

O Descanso do Guerreiro
Depois que acabou o torneio fui pra São Paulo. Lá aproveitei para dar uma relaxada depois de alguns dias de tensão. O bairro japonês Liberdade era a pedida ideal. E claro que um bom passeio como esse não podia terminar de outra forma: rodízio de sushi e sashimi.

Ike Sushi House - Muito bom (e não ganhei cachê pra isso, rsrs)!

Além disso, a Feira da Liberdade tem algumas coisas exóticas. Por exemplo, essa plantinha:

Até pensei em levar uma lá pra casa, rsrs!!!

Xadrez e Jogos Regionais - parte final

Os resultados finais foram os seguintes:

Xadrez Masculino Livre - 1º Divisão

Classificação Final
1º Pindamonhangaba 27,0
2º Mogi das Cruzes 21,5
3º Arujá 12,0


Xadrez Feminino Livre - 1º Divisão

Classificação Final
1º Guarulhos 33,0

2º Pindamonhangaba 27,5
3º São Sebastião 24,0

Xadrez Masculino 21- 1º Divisão
1º Guarulhos 30,5
2º São José dos Campos 30,0
3º Taubaté 21,5


Xadrez Feminino 21- 1º Divisão
1º São José dos Campos 34,0
2º Mogi das Cruzes 29,0
3º Jacareí 16,5



As equipes de Pindamonhangaba: ouro no masculino e prata no feminino!!!

Xadrez e Jogos Regionais parte 5

Veni, vidi, vici!!!
Pois é, no domingo, houve o confronto final entre Pindamonhangaba e Mogi. Hora de mostrar que tínhamos força de verdade ou voltaríamos pra casa com o rabo entre as pernas - o amargo destino dos favoritos que fracassam...
Aliás, essa é uma questão interessante: sempre detestei esse lance de ser favorito em qualquer coisa (de bolinha de gude a torneios de xadrez), pq se tu ganha, todo mundo diz que tu fez tua obrigação, se tu perde, todos te olham com cara de desapontados. Em resumo, é sempre uma posição desconfortável. Acho que a única vantagem de ser favorito é jogar a pressão para cima do adversário, ou seja, se é ruim para mim jogar como favorito, vamos fazer ser pior pro meu adversário, que está (teoricamente) em desvantagem. Mas isso é algo que se aprende com a maturidade... É uma questão de pegar o limão que a vida te deu e fazer uma limonada, ou nesse caso, esguichar nos olhos do outro (não literalmente, por favor, rsrsrs).

Bom, voltando à nossa história, o que aconteceu foi o seguinte: jogamos qualquer urucubaca pra longe e ganhamos por 3,5 x 0,5 com um empate no tabuleiro 1 entre Darcy Lima e Adriano Caldeira. O resultado dilatado não demonstra a dificuldade do match. Tivemos que jogar um bom xadrez e ganhar as partidas com muito suor. Para imaginar a força das duas equipes, ambas haviam perdido somente 0,5 pt até aquela altura do campeonato. Ufa! Ainda bem que conseguimos!




Pinda X Mogi